O afrodisíaco na impotência

O poder erótico da água

Terapia sexual

Voltar ao início

 

 

O poder do afrodisíaco

Existe o afrodisiaco na realidade? São os afrodisiacos uma invenção do desejo dos homens?

Tem substâncias com poder estimulante sexual, e ja não tem dúvidas no mundo científico. Tem que lembrar dos feromonios, que são hormonios naturais que agem no corpo do outro no lugar do próprio corpo, servindo como afrodisíaco quando são percevidos pelo órgão vómero nasal.

As propriedades dos afrodisíacos, muitas vezes estudadas pela medicina "oficial" e pela alternativa, ja são conhecidas por pessoas que tiram partido da comercialisação dos produtos. Porém, ainda tem a possibilidade de fazer para si próprio uma preparação afrodisíaca com o material que a natureza dispoe.

 

Tipos de afrodisíaco

Os afrodisíacos podem ser naturais o produtos químicos; alimentos, bebidas ou odores; finalmente podem se clasificar entre própios do corpo e produtos da natureza. Aqui tem algums exemplos de afrodisíaco.

Naturais:

Vegetais: pétalas de rosas, mandrágora, avelãs, curry, diferentes óleos.

Animais: coxas de rã, sexo da bota (peixe amazçonico), avestruz.

Própios: feromonios, odores.

Sintéticos: farmacológicos (sildenafil e outros produtos em pesquisa); e preparaçoes comerciais com produtos da natureza (cremes, essências).

 

A arte da sedução

O sucesso com as mulheres é uma questão que causa obsessão aos homens de todas as culturas. Também tem mulheres que procuram na magia técnicas para atrair ao homem amado. O impulso sexual é saudável no senso que faz possível a continuidade da raça humana no mundo, mas também por ser a fonte de prazer mais importante na vida social.

Não tem receitas para a sedução, isso é verdade. Mas tem muitas receitas e remedios que foncionan para aumentar o desejo, que ninguém pode recusar. A necessidade do control do ser humano fiz que hoje a gente possa usar muitas técnicas de sedução como o afrodisíaco.

O mito do afrodisíaco

O nome "afrodisíaco" deriva da deusa grega "Afrodite", símbolo da beleza e do amor. O som é como "paradisiaco", mas na realidade provem de "aphrodisiako", que na lingua grega quer dizer "desejo sexual" relativo à deusa Aphrodisa. Ela teria aparecido da espuma no mar onde o braço de Uranus, o pai dela, teria sido jogado.

Urano, o deus do ceu, o paraíso em pessoa, era ao mesmo tempo perverso e charmoso, exprimindo sensualidade e maldade. Ele era o filho e marido da Gaia (a terra), e então tinha odio pela sua descendência, mandando-a para Tártaro, a região do inferno. Kronus, o deus do tempo, mutilou Urano e jogou o braço ao mar. Esta é a origen da deusa Afrodite.

Afrodite tinha uma reputação sexual considerável. Ela teve sexo com o filho Priapo (Priapus, identificado como objeto fálico). O pai dele era Baco, o deus do vinho, quem era também filho direto de Zeus, o chefe dos deuses do Olimpo.

Ja desde aqueles tempos gregos, toda substância que tivesse um efeito no desejo era considerado "afrodisíaco". Os médicos da época começaram a pesquisar as plantas da região. Então é possível dizer que as consultas com os médicos gregos ja tinham muito a ver com a sexualidade, na área onde a medicina moderno foi inventada.

 

História do afrodisíaco

 

Tem historiadores que falam duma antiguidade de 5000 anos para o primeiro afrodisíaco. Porém, isso não é confirmado. O mais provável parece que os afrodisíacos sejam tão antigos como as primeiras formas de organização social humana, nas primeiras cidades, faz 7000 anos.

O que apoia esta teses é que quase todas as culturas do mundo usam afrodisíacos para atrair ao outro sexo.

 

Os afrodisíacos na Biblia

 

Ja na Biblia tem uma referência a um afrodisíaco, no Cântico dos Cânticos, o livro escrito pelo Rei Salomão, o filho do Rei David. Apos a Igreja considerou o cântico como uma louvanza de Deus à Igreja e deixou um texto que oferece muitos exemplos de sensualidade que na Biblia produzem um efeito surpreendente.

No capítulo 7 versículo 13, fala assim da raiz duma planta com efeito afrodisíaco:

"As mandrágoras estão cheirando o perfume. Temos na porta muitas frutas deliciosas, velhas e novas, que eu tenho guardado para ti, oh meu amor!"

Tudo parece indicar que no mundo hebreu antigo o uso de substâncias afrodisíacas era uma prática comum. Daí passou para o mundo árabe, onde os homens praticaram com frequência as receitas e a pesquisa nas novas técnicas de sedução.

 

Os afrodisíacos na China

 

Os chineses tinham desde tempos antigos a costume de usar os afrodisíacos medicinais e mecánicos. Eles conheceram o afrodisíaco vegetal usado até hoje, o gengibre. Eles fazem uma jaléia que estimula especialmente as áreas sexuais da mulher. Também usaram outra raíz, a do gen-seng ou ginseng, com os mesmos efeitos.

Porém, o mais forte dos afrodisíacos por eles usado é, sem dúvida, a sopa de ninho de pássaro, uma preparação bem temperada que nunca falha, segundo eles. Os ninhos são tirados das montanhas perto do mar. Na Europa esta sopa foi sempre muito procurada, chegando a pagar uma fortuna pelo sabor delicioso e exótico que apresenta.

 

O afrodisíaco na India

 

A literatura tradicional da India sempre teve relação com a sexualidade. E por isso é que tem tantas referências aos afrodisíacos que são muitos interessantes para a história. Nunca existiu uma quantidade tão importante de dados como o que se acha no Kama Sutra por exemplo. Cama quer dizer "prazer de amor" e Sutra é o escrito.

Um vegetal que era muito usado na India, também conhecido na Europa, era a raíz do Kang (grama húngara ou panicum italicum) misturado com mel, segundo outro livro, o Ananga Ranga.

Nos "tratados do amor" tem muitos exemplos, receitas, remedios que foram inspiração de muitos namorados occidentais, quando os primeiros viajantes levaram por exemplo o gengibre, muito usado no mundo oriental, como a gente ja viu.

 

Conclusão: o afrodisíaco para você tem que ser achado por você. Não tem uma receita fixa, e a variedade é tão grande que é irresistível a vontade de experimentar.