Epidemiologia

O Professor Oswaldo Paulo Forattini, da Faculdade de Saúde Pública acaba de publicar pela Editora Blucher, com a participa¡;ao da Editora da USP excelente livro de Ecologia Médica. Considerando-se a etimologia da palavra (do grego epo - sobre + demos população) tudo o que ocorre "sobre a populacao" constitui o intuito fundamental da Epidemiologia. O objetivo epidemiológico situase no "organismo social", estudando os efeitos e pesquisando as causas das alterações que ele pode vir a apresentar. Assim, como a Clínica preocupa-se em examinar o paciente, a Epidemiologia destina-se a realizar tarefa idêntica no "corpo populacional", descrevendo os agravos que ali ocorrem, apontando as causas e orientando a indica¡;ao dos meios de controle e profilaxia.

Ao se pretender uma definição de Epidemiologia, assinala o Prof. Forattini, não há como fugir a contingência de subordiná-la a duas finalidades e a três técnicas essenciais. As primeiras consistem na descri¡;ao dos quadros dos agravo s e na determina¡;ao de suas causas. As segundas destinam-se, fundamentalmente, a análise da distribui¡;ao desses eventos, segundo as características dos indivíduos que comp6em a populaçao, de acordo com o tempo e o espaço. A Epidemiologia projeta populacionalmente o evento social e, graças a essa amplia¡;ao, possibilita a descoberta de suas causas. Os objetivos essenciais da  Epidemiologia consistem, pois, na descricao da história natural das doenças e dos agravo s a saúde e na descoberta das causas e dos meios adequados para afastá-las de uma determinada população.

O domínio da Epidemiologia tem aumentado consideravelmente, pois, de início, o seu maior interesse residia apenas no estudo das epidemias. Atualmente, o "estudo epidemiológico" incluiu não apenas os fenômenos relativos as doenças transmissíveis, mas também as não-transmissíveis e aos desvios dos estudos fisiológicos normais atribuíveis as mais variadas causas. Admite-se, então a existência até de urna "Epidemiologia da saúde".

O Prof. Ruy Laurenti, que colaborou no excelente livro do Prof. Forattini refere que, para o estudo epidemiológico de uma doença, é necessário conhecer a freqüência da mesma numa determinada área e sua evolução  no tempo. É importante, também, distinguir certas características da população afetada, tais como sexo, idade, raça, profissão e outras. A medida de uma doença nada mais é do que urna contagem do número de vezes que ela ocorre, identificando-se, para cada caso, todas aquelas características. A pesquisa epidemiológica destina-se fundamentalmente ao entendimento da ocorrência de determinada doença, com a formula¡;ao de hipóteses explicativas, cada vez mais particularizadas e a subseqüente obtenção  de informações que permitam aceitá-las ou não.