Medicina e Saúde nas Regiões Polares

Nos extremos da Terra, ao redor dos seu s pólos, vamos encontrar, no dizer do Prof. Aroldo de Azevedo, um mundo a parte, em que o ser vivo é exceção : são as terras geladas do oceano Ártico e o vasto continente Antártico.

Quantos problemas envolve o exercício da Medicina nessas regiões? A organização  dos serviços sanitários, as necessidades nutricionais nas regiões polares, a engenharia sanitária, a adaptação  do homem a vida nas estações do vasto continente Antártico, a prevenção  e o combate as moléstias de maior ocorrência, os fatores demográficos, econômicos e sociais que ali incidem, os aspectos psicológicos das populações que transitam pelos pólos, a capacidade de trabalho físico dos seus habitantes, tudo isto constituiu o temário de um Simpósio realizado em 1962 em Genebra, sob o patrocínio da Organização  Mundial da Saúde. Foram apresentados vários trabalhos sobre as particularidades geofísicas das regiões árticas e antártica, os caracteres próprios das populações que aí vivem e das moléstias mais comuns, a aclimatação  do frio, os problemas de saneamento, os efeitos sobre o psiquismo  do isolamento, da obscuridade prolongada, da privação  de distrações habituais, etc.

Não há dúvida alguma de que, nas regiões polares, existem fatores restritivos para o seu desenvolvimento econômico, com dificuldades enormes para se manter aí urna vida produtiva, já que certos fatores ambientais, como a congelação  permanente do subsol0, as inclemências do tempo e a obscuridade durante o inverno São praticamente inerentes a estes lugares. É possível, porém, que as zonas polares permitam abrir novas rotas econômicas de comunicação e de transporte entre todos os continentes.

As condições geográficas e climáticas do meio interferem de modo decisivo na vida humana. Por isto, alguns institutos de pesquisa dos Estados Unidos, da Rússia e do Canadá concentram seus esforços na solução de problemas especiais que interferem com a vida nas regiões árticas. A vida em clima frio, onde durante vários meses do ano a temperatura diurna média é bastante inferior a do ponto de congelaçao, requer considerável adaptação  do organismo humano. Mortes por congelamento e queimaduras, ao lado de processos inflamatórios da árvore respiratória São de ocorrência freqüente.

Os fatores climatológicos suscitam, também outras dificuldades, tais como a administração  de água potável, havendo necessidade, em muitos lugares, de se empregar a água da superfície dos rios e lagos ou mesmo a neve fundida.

Estende-se cada vez mais, nestas regiões, o emprego de alimentos enlatados; a anemia é freqüente e intensa, observando-se taxas de hemoglobina ao redor de 50 a 60%. A população das zonas árticas vive em estreita associação  com os cães, companheiros fiéis dos habitantes dessas terras; por esta razão, doenças próprias desses animais podem eventualmente ser transmitidas ao homem.
Transtornos nervosos se observam freqüentemente, provocados pela chamada "monotonia da situação ".

A tuberculose constitui, ainda, sério problema médico entre os esquimós. As mortes por acidentes pelo alcoolismo, suicídio e homicídio São numerosas, no Alasca.

Os progressos da ciência e da tecnologia haverão, porém, de se propagar, com o tempo, para as regiões árticas levando o benefício de tais descobertas para os habitantes de outras latitudes. Exploradores, como Amundsen, Scott, Shackleton e Byrd, conseguiram obter informações científicas do mais alto valor, contribuindo para o melhor conhecimento das regiões polares.

Segundo Goldsmith e Lewis, os estudos polares podem ser considerados verdadeiros "laboratórios humanos", possibilitando investigações de natureza diversa. O que está provado é que a aptidão do homem para aclimatar-se ao frio depende muito de sua "habilidade técnica", porque os esquimós e os índios do Alasca e do Norte do Canadá, bem como os esquimós da Groenlândia, vivem há séculos nessas regiões, mantendo urna cultura até certo ponto florescente, em um dos climas menos hospitaleiros do mundo. Eles repre¬sentam tal vez mais do que qualquer outro agrupamento racial, o símbolo de urna adaptação  bem lograda em um clima frio.