Do Uso ao Abuso da Técnica e da tecnolgia

Estamos vivendo dias ásperos e confusos, com a tecnologia abalando profundamente as ideologias. Aliás, uma das doenças da civilização ocidental é essa tendência a passar do uso ao abuso da técnica. No que diz respeito a profissão médica, assinalou o Prof. Fernando Carneiro, recentemente falecido em Porto Alegre, alguns colegas São levados, certas vezes a volúpia de interferir (no mau sentido da palavra). O ambiente do mundo em que vivemos, a vaidade profissional e o interesse econômico levam certos profissionais a ceder a esta tentação.

Como professor universitário, vivendo também os problemas da minha classe, em contato diário com o sofrimento humano, tenho sempre referido aos meus alunos a necessidade de espiritualizarmos cada vez mais a nossa profissão, amparando-a com o nosso coração, já que ele, somente ele, derrama vida em tudo o que ama. O sagrado amor da Medicina nos haverá de manter sempre atentos nesta luta e nesse esforço, sustentando nossa tenacidade nessa flama, acesa constantemente na contemplação do anseio e do sofrimento humano.

Com este artigo desejamos reverenciar, hoje, a memória de um grande médico, forrado  de sólida cultura humanística; católico fervoroso e autentico que foi o Prof. José Fernando Domingues Carneiro, professor de Tisiologia da Faculdade de Medicina de Porto Alegre. Sua morte, registrou, com razão, Alceu de Amoroso Lima, aconteceu no momento em que mais precisávamos de sua vida, porque ele era por natureza, um elo, um laço de união, um hífen entre as posições mais intransigentes. Com a inteligência verdadeiramente luminosa que possuía, Fernando Carneiro nos teria deixado uma obra muito mais duradoura se não tivesse sido tão cedo arrebatado pela correnteza da morte. Foi ele, no dizer de Amoroso Lima, uma criatura irrequieta, mas sempre ponderada e segura em seu s juízos. Viajava em torno da verdade, da bondade, da compreensão, da concórdia e do amor.

Médico excepcional, de uma curiosidade variada e intensa, preocupou-se durante toda a sua vida com vários problemas médicos, universitários e, principalmente deontológicos: temia, o renomado mestre, que o processo de degradação moral resultante do naturalismo, combinado ao culto abusivo da técnica, estivesse preparando o aparecimento de um tipo humano.