Voltar a Temas de medicina


 

A malária

 

Interessantes trabalhos vem sendo desenvolvidos em nosso meio pelo casal Deane, em colaboraçao com o Dr. J. Ferreira Neto, de Santa Catarina, referentes a malaria de macacos, inclusive com a possibilidade de sua transmissao ao homem.

Tais pesquisas indiscutivelmente de palpitante atualidade e importancia, são patrocinadas pela Organização Mundial de Saúde, interessada em conhecer a extensao e a gravidade do problema.

Para tais estudos o Professor Leonidas M. Deane tem se valido principalmente do "Horto Florestal da Cantareira", em nosso Estado, onde vivem diversos primatas, principalmente o "bugio" (Alouatta fusca) e em numero mais reduzido, o "macaco prego" (Cebus apella) e sagufs (Callithrix aurita). Parasitos da malaria, de duas especies - Plasmodium simium e Pl. brasilianum foram encontrados parasitando freqüentemente o macaco. Plataformas especiais foram construídas para a captura de mosquitos e de macacos, procedendo-se nos primeiros a cuidadosa dissecção e exame para esporozoitos em suas glandulas salivares.

De fevereiro de 1964 a março de 1966, no Horto Florestal, 3.887 mosquitos pertencentes a mais de 30 especies foram capturados, a maioria deles pertencentes ao genero Anopheles, com predominancia do Anopheles (Kerteszia) cruzi, mosquito bromelfcola por excelencia.

Durante o ano de 1965 e grande parte de 1966, a densidade dos mosquitos na Estaçao Ex­perimental do Horto Florestal foi baixa, devido as secas; no entanto, por ocasiao de epocas chuvosas, com a elevaçao do fndice pluviometrico, tais mosquitos tornam-se mais abundantes e o índice de infecçao malarica entre os macacos se eleva consideravelmente. Intensificando nesta epoca as dissecçoes desses mosquitos, Deane encontrou em janeiro de 1966 urn A. cruzi com esporozoitos e ate março do mesmo ano, 12 A. eruzi se mostravam infectados dentre 698 especimens examinados. Tais esporozoitos foram inoculados em "macacos-de-cheiro" (Saimiri sciureus) previamente esplenectomizados.

 

Tudo faz crer que tais esporozoitos sejam procedentes de macacos, principalmente dos plasmodios alouatta fusca (bugio).

Fato dos mais interessantes, do decorrer desses estudos, foi a observaçao de um caso de malária em um capturador de mosquitos e que trabalhava com o professor Deane no Horto Florestal. Tal observaçao, das mais raras, diz respeito a uma infecçao natural do homem provocada pelo plasmodium simium.

Funcionou este paciente como verdadeira "isca" ja que ele fora picado pelos mosquitos, sem estar tomando nenhuma droga antimalárica. Subitamente, este paciente apresentou cefaleia fortissima, febre e arrepios de frio, demonstrando o professor Deane a presença de parasitos no sangue, semelhantes ao plasmodium simium. (...)