Voltar a Temas de medicina


 

Sobre os métodos anticoncepcionais

 

Existia antes métodos anticoncepcionais naturais? Antes dos anticonceptivos em pilulas, injetaveis ou adesivos, como faziam as mulheres? Por exemplo no Egipto ussavam batata doce cozida. Aqueles métodos, ainda servem?

Antes de existirem os anticoncepcionais orais ja tinha uma variedade de práticas para evitar os nascimentos, só que seria muito arriscado a recuperaçao, nem tanto pela efetividade (que as vezes era alta) mas pela perda da arte e da tradição.

Nesse artigo do professor Da Silva Lacaz é possível encontrar algumas chaves sociológicas do assunto.

 

A medicina e a anticoncepçao

 

Durante as duas ultimas decadas varias medidas de planificação familiar foram adotadas em quase todos os paises. O mundo compreendeu ser necessario tal procedimento, devido ao crescimento populacional verdadeiramente explosivo em diversas partes do globo. Se a taxa atual de creseimento continuar na proporçao atual, a populaçao mundial atingira, ate o fim do seculo, 6.500 milhoes. Os peritos em ciencias sociais acreditam, entao, que a populaçao humana se comportara como verdadeira colonia de formigas, sem urn espaço vital adequado para o nosso semelhante e sem comida para alimenta­lo.

Os paises da Europa, ja no começo do seculo, aceitaram o principio da anticoncepção ao nivel familiar e difundiram tais normas, preparando­se, entao, para sobreviver as crises economicas mundiais.

Para proporcionar os meios adequados de planejamento familiar, os medicos devem conhecer os recurs os apropriados para oferecer e informar aos interessados os metodos anticoncepcionais apropriados a populaçao na idade de procriar.

A importante tarefa do medico e fazer baixar a taxa de natalidade a urn nivel considerado ótimo fixado para cada pais. Mas, a simples redução no crescimento populacional, não e a sua unica responsabilidade. Teriamos, também, que melhorar a saude materna e infantil, colocando em pratica medidas sanitarias positivas para as geraçoes que chegam, com urn programa de vacinaçao adequado e outras medidas capazes de diminuir a mortalidade infantil.

Ate certo ponto, a inflação força o povo a pensar seriamente na planificaçao familiar, fazendo com que o casal tome as medidas necessarias para a limitaçao dos filhos. A tarefa é dificil no meio rural e nos paises subdesenvolvidos. Não ha mais duvida que a planificação familiar se constitui em verdadeira medida sanitaria de conteúdo positivo. O exito da mesma depende fundamentalmente de se chegar as famflias mais pobres tais co­nhecimentos.

Mesmo na Africa, em certos paises ja se colocam em pratica programas adequados de planificação familiar, ao passo que em outros (caso da Libia) e proibida a venda de anticon­cepcionais, pedindo-se aos medicos que somente os prescrevam por razoes especiais.

Em recente reuniao da Organização Mundial da Saude sobre os aspectos sanitarios da planificaçao familiar, ficou decidido que quatro elementos deveriam servir como impactos para o controle da natalidade, a saber:

 

 


a) evitar toda a gravidez nao desejada;
b) limitar o nascimento;
c) variar o intervalo entre as gestaçoes e
d) preparar convenientemente a comunidade quanta a idade ideal para a primeira e a ultima gestaçao.


Ate agora, disse com razao o Professor Pinardi, em seu livro "A procriaçao voluntaria", O ato procriador foi apenas urn ato instintivo, como existia na epoca das cavernas. E o unico dos nossos instintos que ainda nao foi devidamente civilizado. Queiram ou nao, O planejamento familiar e urn fenomeno social do mundo moderno. No Brasil, morrem por ana 500 mil crianças antes de completarem urn ana de idade. Um país nessas condiçoes nao po de se dar ao luxo de dispensar o planejamento familiar. Para tanto, deve-se dar a cada casal uma perfeita assistencia materno-infantil, proporcionando tambem a cada familia urn planejamento dentro de suas responsabilidades economicas, sociais e psicológicas. Sobretudo, que cada filho seja realmente desejado, pois desta maneira ele nunca sera desamparado. O problema populacional evoluiu a tal ponto que O planejamento familiar foi reconhecido como direito humano basico pel a Organizaçao das Naçoes Unidas. O que deve ser frontalmente combatido e o aborto clandestino, como recurso para limitar a .sua prole.

Os que combatem o planejamento familiar, muitas vezes tomam esta atitude negativa por confundí-lo simplesmente como controle da natalidade. 0 primeiro e urn direito humano e como tal deve ser respeitado.