Voltar a Temas de medicina


 

Plantas venenosas e intoxicaçoes

 

A intoxicação aguda ou crônica provocada pela ingestão de determinadas plantas (frutos, folhas, sementes ou mesmo flores), embora de incidência universal, assume aspectos regionais, sendo também mais comumente observada em crianças. Alem da ingestão, par um mecanismo alérgico, determinadas plantas podem provocar, por dermo-contato, quadros dermatológicos agudos, tal como ocorre com a aroeira, entre nos.

O assunto em apreço, de grande interesse, principalmente para os pediatras, acaba de ser magnificamente exposto em livro dos mais oportunos, pelo Prof. Samuel Schvartsman ­estudioso do problema e a quem confiamos a direção do "Centro de Controle de Intoxicações" por nos implantado na Prefeitura do Município de São Paulo, administração do Prof. Jose Carlos de Figueiredo Ferraz, quando prefeito desta grande metrópole.

Medicamentos, produtos diversos de uso domiciliar, pesticidas e plantas podem provocar intoxicações agudas ou crônicas. O importante, pois, e que se conheçam as plantas perigosas da região, da casa e do quintal, não ingerindo vegetais selvagens, inclusive cogumelos a não ser que tinham sido identificados (...)
 
Remédios feitos com raízes de determinados vegetais também podem ser tóxicos.

Quando ha suspeita de intoxicações por vegetais venenosos, a primeira medida a ser tomada é o esvaziamento gástrico, através das drogas emetizantes ou, então, da lava estomago. Em certos casos, havendo respiratória ou cardíaca, criando situa extrema gravidade, técnicas especiais de reanimação devem ser tomadas de imediato. Convulsões, alucinações, agitação psicomotora delírio, febre, distúrbios digestivos também podem ocorrer, com v6mitos, diarréia e dores abdominais.


(...)

 

Intoxicaçoes na infância

 

As intoxicaçoes acidentais agudas na infância, assinala o Prof. Pedro de Alcântara, constituem setor dos mais importantes da vida familiar, não só pela sua relativa freqüência, como pela gravidade com que podem e costumam ocorrer. No domicílio ou fora dele, as crianças podem sofrer intoxicações as mais variadas, por medicamentos, produtos de limpeza domestica, pesticidas, as venenosas plantas do Brasil, etc. As manifestações decorrentes de tais intoxicações são muitas vezes graves e precisam ser enfrentadas em tempo hábil, tentando-se sempre identificar o agente tóxico por elas responsáveis. No Pronto-Socorro de Pediatria do Hospital das Clínicas de São Paulo, os Drs. Samuel Schvartsman, Jose de Araújo e Eduardo Marcondes, nomes dos mais credenciados na c1asse medica, discípulos do Prof. Pedro de Alcântara, adquiriram larga experiência no exame de centenas de crianças com este tipo de intoxica<;ao, resolvendo publicar, sobre o assunto, um manual de grande utilidade, que se impõe por si mesmo. Nu­merosas vidas serão salvas com este oportuno trabalho dos jovens e dedicados médicos paulistas. E isto basta, refere com inteira ração Prof. Pedro de Alcantara, para lhe enaltcer os meritos.

Livro de pediatras escritos para pedi, ou por quem se interesse pelos problema criança - este manual esta perfeitamente adaptado as condições brasileiras, pois tem particular, das intoxicações mais comuns em nosso meio, inclusive as provocadas plantas, tais como os "vegetais beladona da "mandioca brava ou amarga" (cujo prine ativo e o acido cianídrico), o mamoneiro "carrapateiro" (atuando pela ricina), o "pinhão paraguaio", o "oficial de sala" e o "comigo ninguém pode", planta do gênero Dieffen bachia, de extraordinária difusão, tanto zonas rurais como urbanas. Ela e geralmente cultivada em vasos, apresentando fo grandes, verdes, com manchas esbranquiça.

No Brasil registram Schvarstman, Arujo e Marcondes, e impressionante o desinteresse do publico em geral, dos órgãos governamentais e mesmo dos médicos em relação ao problema em apreço. Geralmente crianças abaixo de 5 anos as que pagam tributo as intoxicações acidentais, provocadas por agentes os mais diversos, tais como soda cáustica, derivados de petróleo, soluções de limpeza e inseticidas, particularmente os chamados domésticos, medicamentos e antas.


(...)


Com o Prof. Pedro de Alcântara louvo vivamente o esforço de seus ilustrados autores, lamentando que só agora disponhamos de um instrumento tão valioso para o atendimento do grave problema das intoxicações agudas na infância.

Esta de parabéns, igualmente, o Fundo Editorial Procienx, que possibilitou a publicação desta obra, valiosa e oportuna. Graças a elevada compreensão e interesse deste Fundo, bem como de seus dignos diretores, pode a classe medica do Brasil, contar com um roteiro seguro que a orientara no tratamento das intoxicações acidentais agudas na infância.

"Intoxicações Acidentais Agudas na Infância", de autoria de Samuel Schavartsman, Jose de Araújo e Eduardo Marcondes (Fundo Editorial) Procienx, Sao Paulo, 1963) e um livro de alto mérito, escrito por três colegas que honram com o seu trabalho a gloriosa Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.